Arquivo da tag: Califórnia

Feliz Ano Novo!!

As melhores coisas de 2011!

 

 

1. Carolinas recheadas por Lulu Graciosa.

Se você estiver no Facebook, aqui está o link com o vídeo da receita.

As deliciosas carolinas recheadas ou profiteroles ;)

2. O vídeo caseiro que minha amiga Flavinha fez da nossa viagem à Europa! Perfeito e hilário!

Foi mal, mas não dá pra divulgar!

3. O nascimento da Oficina Compartilhada, blog de Prosas & Versos em parceria com a minha irmã caçula Gabish e o amigo Cid. Nos comprometemos a postar semanalmente e cumprimos. AMOR é o marcador campeão, seguido de CONSCIÊNCIA e CONFUSÃO/INSEGURANÇA… Não precisa explicar mais nada, precisa?! rs

Às vezes é uma merda, mas outras vezes é muito lindo! Vai lá! http://oficinacompartilhada.blogspot.com

Blog, Twitter e Facebook: adoramos escrever!

4. A pré-candidatura a vereador do meu amigo Fabiano Carnevale.

O cabeçalho do blog do Biano.

5. O bicentenário da Champagne Perrier Jouët que inspirou uma fase deliciosa da minha vida.


6. O post do Eat Girls sobre o famoso drink White Russian, eternizado pelo filme The Big Lebowski. Ultra divertido!

Muito bom, Dude!

7. A descoberta das maravilhas que Downtown Los Angeles guarda, especialmente o Restaurante e Bar Cole’s, que disputa com o Philippe o título de melhor French Dip Sandwich da cidade. O French Dip é um sanduíche de pão de sal recheado com muitas fatias de carne que se come mergulhando num caldo ralo de carne. É uma coisa de louco. Eu provei os dois e prefiro o Cole’s disparado. Além do mais, lá tem os melhores drinks preparados com muito capricho, os famosos Old Fashioned Drinks. Muitos bartenders que ganham concursos de drinks estão lá ou por lá já passaram. O site do Cole’s tem um vídeo engraçadinho explicando como se deve comer o French Dip. Vai lá!

Screen Shot do site do Cole’s.

8. A Primavera Árabe, o Movimento dos Indignados, o Ocupando Wall Street, o Movimento Estudantil Chileno, o Acorda Rio, a Marcha das Margaridas, e tantas outras ações importantes em prol da democracia.

Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

9. A série da HBO Game of Thrones. Imperdível. Que venha 2012!!!

Chega abril, chega abril!!

A nossa história não termina aqui!

Um 2012 maravilhoso para todos nós!

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Ideias, Impressões, Turismo, Viagem

Bugigangando em Long Beach

Esse verbo dá nó na língua!

Trailer de 1951 totalmente restaurado: US$ 4,500 (Long Beach Antique Mall #2)

Para quem gosta de um achado, a melhor coisa é bisbilhotar antiquários em busca de bugigangas do passado. Os californianos levam o assunto muito a sério e o site ShoppersMap reúne uma grande quantidade de endereços de brechós e antiquários da Califa.

O primeiro que visitei foi o Long Beach Antique & Collectible Mall no qual esbarrei enquanto procurava poltronas em Thrift Shops  (lojas muito populares nos arredores de Los Angeles e que na maioria das vezes estão ligadas à entidades de caridade). A coleção de discos de vinil deles é enorme e comprei o Made in the Shade, dos Rolling Stones, para o meu primo Rodrigo por US$ 4,35 – tem gente vendendo no eBay por mais de US$40. Os antiquários são ótimos para a compra de presentes!!

Fico doida, porque eles têm de um tudo, e adoro as divertidas tralhas coloridas dos anos 50. O dono está tão bem sucedido que abriu outro, o Long Beach Antique Mall #2, que visitei na semana passada depois de conferir o Warehouse 1333; que tem mais móveis do que antiguidades em geral e já não curto tanto.

Minhas peças prediletas são malas, máquinas de escrever, rádios e abajures; e saio fotografando tudo para poder ficar admirando depois. Normalmente olho, olho e não compro nada. Minhas últimas mudanças causaram tanto transtorno que ultimamente evito colecionar supérfluos. Só compro quando estou precisando.

Outro programa imperdível é o mercado de pulgas de Long Beach, Long Beach Antique Market, que é considerado um dos dez melhores dos Estados Unidos. Lá comprei um tapete persa lindo, em tons de laranja, por uma bagatela.

Confira as fotos no slideshow:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Arquivado em Turismo, Viagem

Caminhada no parque de Malibu Creek

Para espantar a preguiça de um sábado eu e meu namorado resolvemos fazer uma caminhada no Malibu Creek State Park, que comemora 35 anos em 2011. O parque também é conhecido por ter sido cenário de diversas filmagens desde a era do cinema mudo (1919). Em 1946 a 20th Century Fox Studios comprou um terreno de 2.000 acres dentro do parque para montar um rancho de filmagem (shooting ranch) – que lá permaneceu até que o Estado da Califórnia comprou o terreno em 1974 para abrir o parque ao público dois anos mais tarde.

http://www.malibucreekstatepark.org/Elvis_-_LMT.jpg

Elvis Presley durante a filmagem de "Love Me Tender"

Toda as externas do programa de TV M*A*S*H também foram feitas no parque entre 1972 e 1983 e muitos dos turistas que lá chegam querem ver de perto o set de filmagem. Como a Natureza estava ‘engolindo’ o set, em  2007 ele foi restaurado – com o devido acompanhamento ambiental.

Malibu Creek é belíssimo, tem mais de 4.000 acres e nem parece que está a apenas 30 minutos da movimentada Los Angeles. Lá dentro é só verde para todo o lado. Os visitantes procuram o parque para caminhadas, mountain biking, escaladas, cavalgadas e camping, além de poderem mergulhar nos diversos lagos que ele oferece.

Como não tem banheiro para tudo quanto é lado eu fiquei economizando na ingestão de água e o corpo reclamou com câimbras na batata da perna direita. Porém, foi só fazer um pouco de alongamento e me hidratar um pouco mais para continuar a exploração numa boa.

O parque também oferece mesas de picnic que estão bem espalhadas, além de uma concentração de mesas cobertas na entrada do parque, ao lado dos banheiros.

Vista do restaurante Chart House, Malibu

Como não programamos picnic e já estávamos morrendo de fome, saímos de lá direto para o restaurante Chart House, na beira da praia de Malibu, que tinha uma vista incrível. Porém, a comida deixou a desejar.

Tirando o trio de sopas que oferecia creme de marisco, caldo de lagosta e gazpacho (Best of Soup: sampling of each: clam chowder, lobster bisque & gazpacho) não gostei do resto dos pedidos.

Shrimp Tempura Roll, Charter House-Malibu

O enrolado tempura de camarão (Shrimp Tempura Roll) quase não tinha o crustáceo dentro, além de o tamanho ser super deselegante de comer. Já as vieiras grelhadas (Pan Seared Scallops) estavam muito cozidas, e o arroz de açafrão que as acompanhava não me encantou nadinha.

A mágica ficou por conta da vista translumbrante e do Prosecco Santa Marguerita que foi servido com uma flor de hibisco comestível dentro! Adorei, principalmente porque o chá de hibisco gelado é uma das minhas novas manias. Como mimo de aniversário o restaurante dava de presente a taça comemorativa em que o drink era servido, que levei para casa como souvenir.

Aqui um pouquinho do que eu vi durante a minha visita ao parque:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Arquivado em Turismo, Viagem

Joshua Tree: um final de semana no deserto

A quantidade de moinhos impressiona

Minha primeira aventura no deserto!! Nunca achei que pudesse gostar de turismo pederegoso. No caminho, uma quantidade considerável de moinhos de energia eólica enfeitam a paisagem.

O Parque Nacional de Joshua Tree é um dos cerca de 400 parques nacionais dos Estados Unidos e comemora em 2011 o seu 75o aniversário. Tem um total de 585,000 acres e é 80% selvagem, incluindo partes do Deserto do Mojave e do Colorado.

O selo comemorativo dos 75 anos do parque

Leva o nome da árvore de Joshua (ou de Josué) que é  uma espécie de cacto, encontrada quase que exclusivamente nesta área do Mojave. Enchemos um cooler de comidinhas e bebidas refrescantes para colocarmos o pé na estrada. Embora a primeira ideia fosse acampar, desistimos da aventura devido ao calor que ainda estava fazendo no início de setembro.E confesso que se acontecesse o tal acampamento seria minha primeira experiência na vida. Pasmem, nunca acampei.

Para a primeira noite reservamos a pousada The Joshua Tree Inn, na cidade minúscula de 29 Palms, no meio do deserto. O site não faz jus ao conforto do local, que tem o privilégio de possuir uma piscina bem grande (!). Depois vi que a página deles no Facebook tem fotos maravilhosas que passam a magia do lugar.

Joshua Tree

É administrado por um jovem casal Zen e o cara faz o próprio chai, o famoso chá indiano. Uma delícia e a garrafa térmica na sala do café está sempre cheia. Após fazermos o check-in procuramos um lugar para almoçar e achamos o Crossroads Cafe, pequeno e aconchegante. Escolhi Chicken-Cilantro Soup e depois dessa experiência só quero saber de canja com coentro!

O Museu

Um outro lugar gostoso que comemos foi o Joshua Tree Saloon e ao lado do restaurante uma surpresa: o mundialmente famoso Museu do Crochet!!

A segunda noite foi outra experiência fantástica, nos hospedamos no Hicksville Trailer Place. Uma pousada cujos quartos são trailers charmosos, cada um com uma decoração diferente. A figura que administra o lugar é um personagem que parece saído direto de um dos filmes do David Lynch e eles têm políticas severas de privacidade como ligar meia hora antes de chegar e não fazer check-in no Facebook ou no Foursquare…

Hicksville

Em 2009 a Revista TPM fez uma matéria sobre o deserto californiano que também dá algumas dicas interessantes. Leia aqui!

Não vejo a hora de voltar! O deserto deixou saudades!

1 comentário

Arquivado em Turismo, Viagem