Arquivo da tag: arte

Procura-se: captadores de recursos para projetos aprovados na Lei do ISS (RJ)

viva-a-cidade-contribuinte

Projetos aprovados para serem beneficiados pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Viva a Cidade!, do município do Rio de Janeiro, visando a utilização de recursos provenientes de renúncia fiscal do Imposto Sobre Serviços – ISS:

Publicação .:. O Rio Saudável e Sustentável no Circuito Carioca de Feiras Orgânicas

Proposta: O Rio de Janeiro vem desenvolvendo, há mais de 10 anos, um trabalho inovador de fortalecimento da agricultura familiar saudável e sustentável. A publicação ilustrada vem contar a história do Circuito Carioca de Feiras Orgânicas, dos seus atores e da criatividade carioca, com histórias e fotos que valorizam o trabalho dos envolvidos e promovem a arte de fotografar gastronomia.

Parceiros: Instituto Maniva, Aguce Gastronomia, ABIO, Essência Vital e Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico Solidário – SEDES

Aguce Gastronomia 

Instituto Maniva

ABIO

SEDES

Circuito Carioca de Feiras Orgânicas

Eventos Infantis .:. A Roda Criativa da Francisca

O evento consiste em realizar eventos de contação de história e oficinas de colorir, promover rodas de leitura em voz alta e teatro de bonecos para a criançada. A Francisca e seus amigos esperam fazer amizade com as crianças e seus responsáveis que querem saber um pouco mais sobre o que está acontecendo à sua volta, por meio de uma literatura com suporte didático e socializante. A tecnologia tem trazido à tona toda a sorte de temas que precisam ser encarados com seriedade para que a sociedade se desenvolva de forma saudável. Projetos culturais são desenvolvidos para tornar a sociedade mais democrática e participativa. É importante desenvolver projetos que tenham uma política que compreenda o universo infantil como um verdadeiro campo de ações pedagógicas e sociais no qual as pessoas compartilham projetos comuns, cada um deles representando uma oportunidade real de desenvolvimento pessoal e coletivo. Promover a leitura é promover uma sociedade inclusiva, incluindo nela todos os atores sociais, independente das diversidades de culturas, valores e crenças.

 

www.omundocoloridodefrancisca.com

www.facebook.com/omundocoloridodeFrancisca

Incentivo ao Carnaval do Rio .:. Bloco Maravilhas do Porto

O projeto destina-se a realizar o quinto ano do desfile do Bloco Maravilhas do Porto, no Carnaval do Rio de Janeiro, em 2017. Inaugurado em 2013, o bloco, atualmente, conta com 120 ritmistas, sob comando do mestre de bateria Birinha, sambista consagrado da escola de samba Estação Primeira de Mangueira. O bloco tem a proposta de valorizar não só a diversidade cultural do Carnaval, como, também, exaltar a contribuição da cultura negra, originária e predominante na Região Portuária da Cidade do Rio de Janeiro.

www.facebook.com/maravilhas.porto

Deixe um comentário

Arquivado em Projetos

#Inhotim: consumir o #contemporâneo e aguçar os sentidos #arte #ArteContemporânea

Incrível! Fantástico! Lugar mágico! Palavras usadas para descrever Inhotim, sempre que o assunto vinha à tona. Eu, que nunca tinha tido a oportunidade de ir, ficava imaginando, pesquisando na internet, tentando captar o que estaria por trás de palavras comuns, carregadas de sentidos de dicionário.

Tenho a alma inquieta. Não consigo ficar parada, me entedio facilmente e prefiro estar sempre ocupada com coisas que me instiguem. O aprendizado fascina e diminui a boemia que conforta no tédio ululante. Inhotim é isso: uma experiência fascinante, parque de diversões para a criança que existe dentro de mim.

E não é apenas uma experiência visual. É um encontro que nutre os instintos. Impossível não ser tocado no coração. Bernardo Paz declarou em reportagem ao El País: “Este lugar reúne duas coisas necessárias para a vida: a emoção e a sensibilidade”. E é isso. Tudo o que está lá te faz pensar e questionar aquilo que se vive.

IMG_0991

Inhotim é assim!

Minha viagem foi ainda mais completa, pois foi idealizada pelo professor de música clássica Rafael Fonseca. O Rafa, como é carinhosamente chamado desde que me iniciei na arte da conversação, é meu primo-irmão. Compartilhamos experiências de vida além do trivial por conta da comunhão de duas famílias, mas, principalmente, devido às afinidades de vida.

Rafa é amante do belo, do sensível, do conforto e da boa mesa. Ele fez parceria com o crítico de arte contemporânea Fabio Cypriano, professor da PUC-SP e crítico de arte da Folha de São Paulo, para montar um roteiro impecável: ouvir a Filarmônica de Minas com acústica perfeita na Sala Minas Gerais e comer no estrelado restaurante Gloutoun em BH; e visitar Inhotim.

O Fabio não é um crítico qualquer. Ele faz você ficar atento às mensagens das obras e filmes passam pela sua cabeça. O que mais me tocou em nossa caminhada artística foi quando ele destacou a importância de consumirmos o que é contemporâneo. Devemos dar mais atenção ao que é produzido em nossa época.

Como escritora infantil eu ainda estou penando para encontrar espaço em grandes editoras para ganhar capilaridade na distribuição e, assim, maior exposição. Admiro imensamente os clássicos, mas sinto que grandes ideias são deixadas de lado quando somente consumimos escritores já consagrados.

Inhotim te faz refletir! Sobre o que pensa, o que sonha, o que come, o que admira! Depois da viagem você não quer voltar a se enfurnar num apartamento de quarto e sala. Você quer continuar produzindo e cavando oportunidades que agucem os sentidos para escrever de forma diferente as próximas páginas do livro da vida.

Serviço

RF Viagens Musicais
Filarmônica de Minas, Inhotim e Pampulha
Informações: rf.viagensmusicais@gmail.com / WhatsApp 21-9-9627-2491 [Bernardino de Campos]

Deixe um comentário

Arquivado em Arte, Turismo

Trecho – ” Os 13 bilhetes” | Por Carlos Juba #leitura #reflexão #crônica #amor #vida #amizade #arte

Trecho – ” Os 13 bilhetes” .:. Carlos Juba

Naquela dia ela dançou sozinha e chorou. Nem vassoura houve, artifício de anti-solidão. Ou a dança das cadeiras, pura queda. Chorou pingando pela sala água de olho e suor. Houvesse um espírito de qualquer-coisa -qualquer que falasse uma língua não-dita, talvez ouviria algum conselho. Era lua cheia, mas já não era tão verão. Não era outono também. Talvez tivesse que inventar uma estação. Ou um trem que partissse sem vaguear a partida ao meio, sem destrilhar seu coração numa poça.

De repente, se contorcendo de dor, como se pequenos nós atassem e desatassem incessantemente suas vísceras, abriu uma gaveta. Achou um punhado de papéis e uma oração amarela:

Que o universo lave
Do teu olho a inveja
Em sua secura chova luz
Dos braços tortos mova o abraço
Cumprimento corpo a corpo
Almas irmãs do clarão, elétrica e fogo
Que não assassinemos as crianças nossas
Órfãos que somos de nós mesmos
Velhos demais para morrermos livres
E novos demais para vivermos em grades
Transmutemos a repulsa em afeto
Os nomes em verbos
O adorno em nudez
O escândalo em silêncio
Transmutemos o desperdício em generosidade
O açoite em afago
As tesouras em laços
E o que deve morrer que morra
Nasça o anônimo iluminado
A criança vigorosa e desmedida
O tigre entre lanças
O peixe entre redes
O elefante de marfim
Os cavalos correm para lugar algum
Que nossos escudos de faísca e bronze
Amparem do infinito a dor
Rios de lágrimas desaguem
No nosso deus desconhecido
Terra adentro caminham também as águas
Como a lava andarilha o fogo
Brotem fontes aos nossos pés
Negros, molhados e humildes
Bradando em silêncio explosivo
O inominável Deus.

Leu. E parou de dançar. Talvez nunca tivesse ouvido o ruído do seu caduco coração. Se distraiu nesse palpitar estranho. Perturbada pelo seu próprio descompasso, parou de chorar. Deixou-se ouvir minutos a fio e sentindo uma liberdade atroz rachou por dentro. Abriram-se os diques, alagou as vastas terras que eram suas e por tal tamanho não as via. Espantou os ribeirinhos, afogou uns tantos. E os bichos correram por suas costas hipnotizados pelo abismo, só porque seco fosse, esquartejados pela gravidade e chão. Talvez naquele dia o deslumbre do que seria a liberdade fosse realmente quase um abismo. Das suas igrejas, sem remos, de longe, só se avistava a cruz. Nela molhada e abismada se agarrou. Silenciosamente chorou por dentro toda cinza, tempestade que era. Tudo aquilo era pior que dançar. Quis rasgar a oração, mas já não podia, lida, infinita que era, algemada na memória, por um instante, quis ser criança. Chorou alto de novo. Amarrou pedras aos pés e de cima da cruz quis se atirar. Mas havia chorado pouco, raso era, à morte não prestava. Resolveu ficar em silêncio, desceu da cruz, nadou até o abismo, rodopiou, dançou de novo por insistência do vento, caiu fundo e de tanto silêncio, já não tinha voz que clamasse o próprio corpo. Menos cinza ficava, mais amarela, todos os bichos desencavaram-se do abismo e rápido chegaram : já não havia corpo, nem costas. Ninguém tinha visto, nem o abismo, um sol com lábios tão bonitos.

Acesse o original aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em Crônica, [Outros blogs]

Faiscador Livremente e as Rimas que vêm do Ventre #poesia #poema #rima #leitura #amor #vida #texto #exposição

eurimo

Ontem ganhei do meu irmão o ‘Dicionário de Rimas da Língua Portuguesa’. Este post é uma homenagem. De mente livre, pensado em meu blog, hoje esporádico, Faiscador:

Perpetuando

A ousadia liberta a alma encarcerada
Livre-se de suas amarras
Seja você e ame a bondade
Nada mais importa, só sua existência
Abra as suas portas e janelas
Deixe-as escancaradas
Vivemos para encontrarmos nossa essência
Somos únicos
Não devemos nada ao outro que reclama
Cada um segue o seu rumo e a quem ama

.:. Faiscador .:.
12/01/09:58

Segue a rima, usando meu novo e maravilhoso dicionário extraordinário:

Perpetuando

A ousadia liberta a alma encarcerada
Como o corpo da pessoa guarda-chuvada
Em casa, suas amarras, portas e janelas
Pela chuva que cai com a existência delas
Bondade e segurança guardam e não importam
Encarceradas, moças jovens se entortam
Versos, livres, sempre em essência
Somos únicos, seres, sem advertência
Não devemos nada ao outro que reclama
Cada um segue o seu rumo e o de quem ama

.:. (?) .:.
23/01/01:18

Deixe um comentário

23 de janeiro de 2015 · 4:47

Viver a vida <3 #Liniers #aventura #quadrinhos #HQ #tirinhas #viver #coragem

Quanto mais eu vivo, mais eu vivo!

Liniers é demais!

Screen Shot 2014-10-15 at 9.59.16 PM

Screen Shot 2014-10-15 at 10.07.05 PM

Deixe um comentário

Arquivado em Arte, Humor, Ideias

Dalí: A Divina Comédia, no Rio

Até o dia 02 de setembro a exposição, com 100 gravuras do pintor inspiradas na obra do poeta Dante Alighieri, está na CAIXA Cultural Rio de Janeiro.

Conferi ontem no final do dia e registro aqui minhas telas prediletas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Serviço:

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Informações: (21) 3980-3815
Horário de visitação: de terça-feira a domingo, das 10h às 21h.
Entrada franca

Deixe um comentário

Arquivado em Arte, Dicas

Arte com arame

Não me lembro exatamente como, mas acabei tropeçando no site owni.eu com uma matéria super legal que foi feita no início do mês com Terry Border. O artista faz arte com arames, transformando objetos do dia a dia em fotos super criativas.

Selecionei as minhas prediletas que você pode conferir no slideshow!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Arquivado em Humor, Ideias