Arquivo do mês: abril 2013

Oficina de colorir no RJ dia 18 de maio

reserve a data!

Deixe um comentário

24 de abril de 2013 · 16:27

Inspiração roubada

Li uma dessas listas de coisas possíveis para fazer quando se ama e fiz a minha edição.

Para você, com amor:

1- Prepare um café da manhã e leve na cama. Ela com certeza vai adorar o programa, e o bom humor pode fazer com que vocês passem muito mais tempo por lá, fazendo outras coisas gostosas [opa!].

2- Convide-a pra dar uma volta de bike.

3- Descubra algum lugar da cidade onde é possível ver o pôr-do-sol. Leve-a pra lá de olhos vendados (nem precisa tanto).

4- Grave um CD com suas músicas preferidas e dê pra ela de presente. Abra uma garrafa [de vinho] enquanto escutam.

5- Diga que quer fotografias dela. Peça um ensaio focando nos pontos que mais gosta nela.

6- Pesquise num guia cultural da sua cidade atividades que também te interessam e convide-a pra ir a alguma delas com você.

7- Prepare uma cesta com quitutes, uns bons drinks, uma canga, e leve-a pra um piquenique num parque num dia de sol.

8- Pare numa livraria legal com ela. Passe um tempo lá olhando os livros que gosta e descobrindo por quais temas ela se interessa.

9- Visite alguma feira de rua com ela – pode ser de antiguidades, de comidas típicas, de artesanato [ela ama cozinhar para você, que tal uma feira livre de comidas?!).

10- Separe coisas como um creme gostoso, um incenso, umas velas e uma boa música. Diga pra ela que hoje é o dia da massagem. Ou simplesmente curta um bom momento na cama com ela. Ela é boa de cama! Vai adorar ficar enroscando com você… ;)

11- Faça uma lista dos seus filmes preferidos e peça que ela faça o mesmo. Tirem o dia para assisti-los debaixo das cobertas. Planejar é sempre bom, assim como o Dia Sagrado.

12- Cozinhe pra ela. Ops! Cozinhe COM ELA.

13- Leve-a num parque para soltar pipa, jogar gamão, deitar na grama, comer gostosuras. Há uma grande chance dela nunca ter feito isso na vida. E você também não.

14- Se nenhum de vocês dois tem cachorros, separe o dia para passear sem a preocupação de recolher o cocô.

15- Chame-a para comer num lugar diferente, mesmo que distante.

16 – Desfrutem o prazer de um programa sem a necessidade de estar na frente do computador, com amigos em volta ou com uma garrafa de vinho aberta.

17 – Se estiver com saudades, escolha o conforto emocional (dela ou seu). Não tem dinheiro que pague o carinho da atenção.

18 – Ao fazer escolhas, pense no que ela faria. E também no que ela faria por você, sem pensar somente nela.

Resumindo: Amem-se porque a melhor coisa do mundo é ter uma parceria de vida. Se o outro não desperta nada disso em você, pare de perder seu tempo e corra para o mundo, porque o mundo é seu. E a outra parte vai ficar orgulhosa se você fizer a escolha certa.

Repaginado do Casal Sem Vergonha

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas, Impressões

Aprender a desaprender [ou chega de mais do mesmo]

Vou começar a mensagem com uma das minhas citações preferidas, que ouvi durante uma aula de Educação para a Sustentabilidade durante o mestrado na Flórida.

“Uma mudança de consciência, que é vital para a mudança de comportamento, é muito difícil de alcançar e exige o processo desafiador e lento de desaprender e reaprender.”
Professor Robert Farrell
Florida International University

Hoje fazendo minhas pesquisas dei de cara com o blog de quadrinhos do Gus Morais, que me fez lembrar imediatamente do Professor Farrell. Gus é ilustrador de revistas e livros para diversas editoras e atualmente ilustra as tiras da seção “Bytes de Memória” publicada no caderno TEC da Folha de São Paulo.

gusmorais

Vale a pena ler a tirinha inteira, que nos faz sentir o cansaço de ter mais do mesmo.

Educação para a Sustentabilidade é educar para um mundo mais justo. Ela envolve os pilares econômicos, sociais e ambientais. O ato de educar vem recebendo cada vez mais críticas, entre elas destaco a falência do processo de aprendizagem: escolas consideradas “máquinas de triagem” ou reprodutoras do status quo….  Elas deveriam ser ferramentas de transformação social e se transformaram em uma fábrica de força de trabalho. Força essa utilizada por governos para a busca incessante pelo poderio econômico no mercado globalizado – escravizando e sufocando talentos individuais – e até mesmo a Guerra. Estamos no Século XXI, mas a Educação ainda está nos moldes ultrapassados. Continuamos formando gerações para servir este sistema econômico massacrante e injusto.

E com pouca capacidade crítica e de transformação…

Que tal começarmos a desaprender?

Deixe um comentário

Arquivado em Crônica, Educação, Sustentabilidade